Liderança no Novo Normal

A Covid 19 acelerou um processo de transformação social que já se estava gestando. Formas de trabalho como o homeoffice e o blended vieram para ficar. Os níveis de exigência e as transformações requerem atualizações, reciclagens e novas habilidades e competências. Muitas profissões e empregos se estão extinguindo, muitos outros mais qualificados e remunerados estão surgindo.

A internet e medias sociais estão criando um novo tipo de globalização, essas transformações requerem líderes de visão mais larga e novas competências para enfrentar uma concorrência cada dia mais acirrada. Desafios e oportunidades que surgem a todo momento, demandam líderes competentes à altura dessa nova realidade. Porém, esses líderes são um recurso escasso.

Sendo os líderes e empreendedores os principais drivers para a transformação, a pergunta que surge naturalmente é quais são os métodos para transformar simples mortais em líderes. Ou será que, como muitos pensam, os líderes nascem e os especialistas em formá-los apenas lapidam o diamante que, de qualquer forma, se desenvolveria nas circunstâncias apropriadas?

Esta teoria da liderança, baseada apenas nas características pessoais do líder, foi forte e bem difundida até meados do século XX. Então, acreditava-se que um líder devia liderar e ter uma longa série de atributos. Posteriormente, algumas pesquisas consideraram que um líder deveria ser íntegro, inspirador, confiante e adaptativo.

Porém, esses traços pessoais são necessários, mas não suficientes para produzir resultados extraordinários. Atualmente consideramos que a liderança tem a ver principalmente com propósito, visão, influência e resultados. Um líder deve ser capaz de contribuir para elaborar uma visão do futuro, motivar e orientar as pessoas a empreender essa jornada e obter grandes resultados. Um estudo da McKinsey titulado “War for Talent”, demonstrou que empresas preocupadas com a liderança e seu desenvolvimento tinham resultados acima da média.

Apenas as empresas visionárias estão implementando um pipeline de líderes e trabalhando no desenvolvimento individual para seus executivos médios e assim capacitar a futura geração de executivos seniores.

Preparar a próxima geração de CEOs e outros executivos do C’level é uma tarefa complexa, árdua, imprescindível e urgente. O mundo que se está desenhando mostra claramente que esses executivos devem estar prontos para lidar com um cenário turbulento e ambíguo, passamos do Vuca para o Bani. Oportunidades, desafios e riscos parecem intercambiar seus papéis a cada momento, dificultando os processos estratégicos e de tomada de decisão. Errar nunca custou tão caro.

Adicionalmente, para garantir o desenvolvimento acelerado de talentos de alto potencial e das lideranças de nível Junior, as empresas visionárias estão aprimorando seus processos de recrutamento de trainees e programas de capacitação.

O ponto é definir se nós, como sociedade, estaremos prontos e dispostos a preparar essas lideranças, ou se deixaremos passar mais uma oportunidade de construirmos uma sociedade justa e equitativa.

A VOOA se prepara para dar sua contribuição à sociedade desenvolvendo líderes à altura para enfrentar os desafios e aproveitar as oportunidades do novo normal.

Walter Alba

Diretor Corporativo da VOOA Educacional

10 maio 2022

Agile, Scrum e Kanban: um resumão sobre as metodologias!

Você provavelmente já se deparou com alguma dessas palavras e/ou conceitos. Não?…

30 jul 2021

Liderança Feminina

As executivas e empreendedoras têm falado abertamente que as mulheres não ocupam…

Escrito por

Escola Vooa